Pitbull – Aprenda Tudo Sobre Essa Raça

Esta raça é conhecida por ser a “mais violenta” de todas, sofrendo assim, erroneamente, um grande preconceito.

Esta ideia de que o pitbull é muito bravo surge pelo seu porte e por seu corpo desenvolvido para destacar os músculos.
Porém, quem convive com essa raça sabe que não é bem assim, e vamos lhe explicar o porquê.

Se você está em dúvida se adota ou não um cão desta raça, confira a seguir um guia sobre o pitbull.

Origem

O pitbull tem sua origem no cruzamento de duas raças: o antigo bulldog inglês com o extinto terrier inglês.

Sendo desenvolvido inicialmente na Inglaterra, no século XIX, com um objetivo bem específico e cruel: era  produzido” para esportes violentos, como a luta com cães, touros e até mesmo ursos.

Felizmente, o governo inglês proibiu este “esporte” em 1835, devido a sua brutalidade.

Mais tarde, criadores de cães nos Estados Unidos interessaram-se pela raça, procurando desenvolvê-la através de seleções genéticas para que prevalecessem as características mais fortes e agressivas da mesma.

Foi a partir daí, portanto, que a função do pitbull passou a ser outra: a de “auxiliar nas fazendas”, onde possuía a tarefa de guardar o gado e os porcos.

Por possuir um corpo definido e de grande porte, o pitbull também era muito utilizado como cão de guarda, para garantir a proteção das propriedades privadas.

No Brasil, os primeiros cães desta raça chegaram em 1970, no Rio Grande do Sul, e em São Paulo, em 1980.  Entretanto, a popularidade da raça só ocorreu em 1990.

Características

pitbull

Um cachorro adulto da raça pitbull pode ter, em média, entre 35 a 50 cm de altura, chegando a pesar de 13 a 27 kg.

É um cão bastante forte e ágil, seu filhote costuma ter muito mais energia que os demais, demandando um maior tempo de atenção dos seus donos.

As cores podem variar bastante, dependendo dos descendentes do animal.

pitbull pode ser preto, branco, cinza, marrom, tigrado, “mesclado” (mistura de mais
cores), castanho e seal (variação da cor da pelagem de acordo com a luminosidade).

 

Personalidade

Na maioria das vezes, são super carinhosos e dóceis, indo contra todo o preconceito estabelecido.

Porém, devemos ter em mente a maneira que “ensinamos” o pitbull a lidar com suas frustrações e vivências: se o adestrarmos para atacar, obviamente ele será violento!

Mas se tratarmos este cão com amor, carinho, atenção e calma, não haverá motivos para temer um ataque.

É interessante proporcionar, desde pequeno, o contato com outros cães, pois esta raça pode apresentar uma agressividade um pouco mais atenuada na sua sociabilidade canina.

Mais uma vez fica evidente a responsabilidade do dono diante dos cuidados com o cão e sua personalidade.

 

Cuidados

Por se tratar de uma raça que possui a pelagem curta e lisa, não há necessidade de tosar tantas vezes, como com cães de pelos longos.

Assim sendo, indica-se que a tosa seja feita de três em três meses, a não ser que neste meio tempo possa acontecer imprevistos, como o animal sujar o pelo com produtos difíceis de remover. (Uma dica: fica atento onde seu pet está pisando. É imprescindível deixar longe de produtos químicos que possam prejudicar sua saúde!).

O banho deve ser na frequência normal para qualquer pelagem, de quinze em quinze dias ou de trinta em trinta, de acordo com a personalidade do seu pet para sujar-se.

Sua raça exige exercícios físicos freqüentes, para manter sua saúde e disposição em dia, uma vez que se trata de um cachorro de porte atlético.

Assim, os passeios e as brincadeiras são indispensáveis para esta raça, pois lembre-se: cachorro com energia
acumulada encontrará outros meios para descarregá-la, podendo destruir objetos e até mesmo “morder para brincar” de uma forma mais dolorida…

 

Nutrição

Quanto aos cuidados deste animal, devemos ressaltar a importância de uma boa nutrição. Esta raça deve ser alimentada com ração equilibrada, específica para este porte, suprindo sua necessidade calórica (aprenda a escolher a melhor ração para o seu cachorro).

Devemos ter em mente que cada raça possui suas peculiaridades e necessidades específicas quanto à alimentação, assim, o pitbull necessita de um cardápio balanceado, com a chamada “dieta prima” com carne vermelha, rações secas e úmidas e enlatados.

Este quesito é muito importante, podendo demandar um investimento maior do que para outras raças.

Se você pensa em economizar na hora de alimentar o seu pet, então é melhor optar por um de outro porte.

E muito mais importante que comprar a ração ideal é saber que quantidade não significa qualidade.

De nada adianta “entupir” seu amigo com a ração seca diversas vezes por dia, pois suas necessidade nutricionais talvez não serão supridas, deixando-o mais vulnerável a doenças.

 

Saúde

O pitbull está mais suscetível a alergias, doenças da pele e pelos encravados. Por isso é importante ficar de olho na sua pelagem e na frequência que o seu pet está se coçando.

Quando não houver tratamento adequado para as possíveis dermatites, a mesma poderá evoluir para câncer de pele.

Também pode apresentar problemas de estômago, e é aqui que mais uma vez entra a importância de uma nutrição adequada para o porte e raça.

Outro problema que pode afetar o seu cão é a chamada “ossificação separada”. É durante a infância de todos os cães que o processo ancôneo deve ser fundido normalmente ao olecrano, mais especificamente até os 150 dias de vida.

Quando isto não ocorre, há então o desenvolvimento desta doença, que pode ainda provocar a doença degenerativa do cotovelo, podendo ser frequentemente encontrada nestes cachorros.

Por isso, se você adotar um pitbull, é essencial a visita regular ao veterinário desde filhote, podendo assim garantir intervenções no momento certo para doenças ósseas e assim você terá um companheiro saudável para uma longa data.

A expectativa de vida pode variar de oito a quinze anos de idade, mais uma vez
de acordo com os cuidados e atenção que o dono proporcionará.

 

Quanto Custa um Pitbull?

Assim como nos demais itens, a própria compra de um pitbull pode se tornar cara. Há quem venda a partir de R$800,00 podendo chegar até R$4.000,00.

Por isso torna-se uma raça “cara”, pois além do investimento inicial será necessário desembolsar boas quantias para garantir a vida plena deste pet.

 

Diga não ao preconceito

Por fim, se você como amante de cães ainda está interessado em ter um pitbull, vá em frente! Mas estejas disposto a pagar o preço: e isto não diz respeito apenas ao montante em dinheiro, mas sim, ao investimento de amor, carinho e cuidados que você dará ao animal.

Não se esqueça: a forma que você ensinar seu amigo a lidar com a sociabilidade e com o dia a dia serão cruciais para a maneira que ele irá reagir.

Um pitbull não é violento, sangrento ou mau. Ele simplesmente não aprendeu a viver de outra forma.

Diga não ao preconceito!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *